Concurso Público, Uncategorized

Congelamento, limite remuneratório e apocalipse – para onde ir?

super_imgapocalipse_brazuca

Todos que leem o meu blog sabem que eu trabalho com preparação de candidatos para provas de concursos públicos. Faz bastante tempo que eu faço isso e, digo sem medo de errar, é algo extremamente benéfico para o ego de um professor ensinar quem quer aprender, mesmo que seja apenas para marcar um X na resposta correta.

Nos últimos dias, uma notícia que tomou a comunidade concurseira foi o pacote de medidas que o Governo Federal quer impor ao funcionalismo público. A notícia caiu como um meteoro escatológico sobre todos aqueles que tinham a perspectiva de uma mudança rápida de condição social após serem aprovados em um concurso.

Dentre as mudanças (que você pode conferir no site do planejamento), há o congelamento do reajuste aos servidores, a limitação da remuneração inicial de para os servidores admitidos em novos concursos e a extinção de aproximadamente 60 mil cargos do executivo.

Evidentemente a notícia não é das mais animadoras. Aliás, a situação é tão complexa que você nem está vendo os estandartes dos cursinhos preparatórios profetizando melhoras ou mesmo apregoando que tudo ficará bem, pois nem eles mesmos sabem qualquer coisa a respeito. Tudo, repito, TUDO pode acontecer com a atual gestão que se arvorou no país.

Entendo que há alguns aspectos importantes que devem ser levados em conta com relação a essa proposta:

  • O primeiro é o de que ela ainda não está em vigor, depende de aprovação do Congresso. Isso é uma esperança? Não, pois a atual gestão domina a maior parte dos membros da casa, logo não haverá tanta dificuldade para essa medida ser aprovada. Ponto negativo para nós!
  • O segundo é que essa limitação de gastos está sendo feita sem um estudo muito lógico de suas consequências para o próprio funcionalismo público, para a sociedade em geral e para o próximo gestor que terá de arcar com esse “foda-se” gigantesco que o Temer está tocando.

Eu quero concentrar a minha análise nessa segunda parte: suponha que você esteja estudando para a carreira diplomática, cujos vencimentos iniciais ultrapassavam 13 mil reais. A partir disso, você receberá apenas 5 mil, pois esse seria o patamar inicial para o ingressante no Serviço Público (não será o valor de 5 mil para a vida inteira, mas demorará uns 10 anos para subir a um patamar remuneratório minimamente aceitável). Bem, até aí tudo bem para o séquito temerino (ou seria temerário?). Essa galera só não está contanto com o fato de que o cidadão admitido no concurso do ano de 2017 ou 2016 não sofrerá esse impacto, pois já foi aprovado de acordo com as leis do último edital. Então, você entrará um ano depois e receberá quase um terço daquilo que seu colega de profissão recebe. O mesmo seria para PF, a PRF, a Receita Federal entre outros órgãos do Serviço Público. Pois é, na minha opinião, haverá advogado comprando planeta apenas com os casos de restituição com base na equiparação remuneratória um ou dois anos depois de essa medida entrar em vigor.

Isso vai impedir que os “cavaleiros da têmera quadrada” aprovem esse projeto? É lógico que não. Entenda: isso vai seguir adiante. Então, esse é o apocalipse dos concursos púbicos? Sinceramente, eu acho que não. Mas vou ser bem honesto: aquela ilusão de riqueza, que muita gente (desinformada) tem quando vê post Concurseiro X Concursado no Instagram, vai se desvanecer. Sem falar na tentativa deliberada de sucatear o Serviço Público. Penso que o cidadão que estiver investindo nisso, fará um cálculo bem preciso entre suas aspirações (que podem, de fato, envolver o sonho de ser um auditor, um policial rodoviário, enfim) e o valor que deverá investir para isso. É bem provável que você comece a notar mais promoções tresloucadas de cursos preparatórios pelo Brasil.

Não se engane: a despeito de muitas maldades propostas pelo nosso Michelito, muito do que se alardeia por aí é pós-verdade. Há muitos interesses particulares nos anúncios que pregam o fim dos concursos públicos. O “chefinho” quer ver o funcionário empenhando até a alma para aumentar os lucros e dar fôlego à iniciativa privada. Num contexto em que se multiplicavam os candidatos a cargos públicos, os certames ficavam mais seletivos. Daí, você teve de aprender mais língua portuguesa, raciocínio lógico, ficar de olho nas atualidades, aprender noções de direito constitucional, administrativo e… acabou se transformando em uma pessoa mais crítica, mais ligada no mundo, menos manipulável. Isso não é nada interessante para o dono da mula.

Que resta disso tudo para quem ainda quer prestar os concursos? Olha, o mundo ainda não acabou (apesar de seu novo final estar previsto para o dia 21 de agosto). Há uma série de concursos com edital aberto, principalmente da área dos tribunais. Você pode mudar de área, mudar de foco, pode até parar de estudar, se achar conveniente. Se, numa próxima gestão, tudo isso mudar (o que também pode acontecer) – e você tiver desistido dos estudos (que costuma ser a tendência dos fatalistas) -, será forçado a começar tudo de novo. Talvez do zero!

Também não é possível fechar os olhos para tudo o que está acontecendo. Uma mobilização produziria bons resultados, mas isso é quase impossível no Brasil, pois aqui somos escravos dos representantes que elegemos; isso acontece porque somos escravos da nossa própria ignorância. Momentos desesperados pedem medidas desesperadas, mas o desespero é relativo: há muita gente ganhando com isso. Por favor, não faça aquele tipo de comentário sarcástico, mas que revela uma inocência extrema: “no deles, eles não querem mexer, safados!” Nenhum político lerá esse comentário e, se ler, provavelmente dará uma bela risada enquanto manda mais um gole do seu Blue Label.

Quando pensar em desistir, lembre-se de que o funcionalismo público no Brasil nem sempre foi o paraíso com que muitos sonham. Contextos se alteram, governos vão e vêm: você fica. Leia isso antes de tomar sua decisão.

Padrão
Concurso Público, Uncategorized

Concursos na reta – Polícia Militar

policia-militar

 

Salve, guerreiros leitores do blog!

 

Eu tenho sérios problemas de bipolaridade (hehe): uma hora faço post sobre concursos, outra hora escrevo uma crônica, depois um poema, depois uma crítica. Espero que você não se chateie com isso.

Eu resolvi dedicar esse post para falar sobre alguns concursos que estão na reta aí para o pessoal, principalmente pelo fato de que muita gente anda reclamando que estamos em períodos miseráveis de editais. Em uma pesquisa rápida, pude concluir que temos três concursos de Polícia Militar que estão “pela boa” ou já estão na área para os concurseiros. Vamos a eles:

Polícia Militar da Bahia – PM/BA

O governador Rui Costa confirmou que haverá o concurso, e a previsão para a publicação do edital é até o mês de abril, ou seja, já está quase na nossa cara. De acordo com as informações que pude encontrar, haverá mais de duas mil (2.000) vagas neste concurso – para os espaçosos, é vaga a dar com pau!

O concurso exige nível médio, e a remuneração inicial é de R$ 2.197,78 (iniciais). O último concurso foi realizado pela banca FCC (um pouco ardida para quem estuda para as Carreiras Policiais) e teve prova de redação (delícia!).

Fica  a sugestão para você estudar para esse concurso antes que o edital apareça!

Polícia Militar do Piauí – PM/PI

Wellington Dias – o  governador do Piauí – autorizou a publicação do edital para o concurso da Polícia Militar, com a oferta de 400 vagas para soldado. O concurso exige nível médio completo, e a remuneração inicial é de R$ 2.047,63.

O último concurso ofereceu um quantitativo semelhante de vagas e foi realizado pela banca Nucepe e não teve redação, para o alívio de muitos!

 

Polícia Militar do Acre – PM/AC

 

Esse concurso está com o edital publicado. Houve uma querela a respeito da suspensão do concurso, mas houve determinação judicial para impedir a suspensão.

Exige-se nível médio para o concurso. A remuneração é de R$3.319,12 e a banca examinadora é a IBADE. As inscrições vão de 03/03/2017 a 28/03/2017; a data da prova será 23/04/2017.

Desejo a todos bons estudos!

Força, guerreiros!

Padrão
Concurso Público

Concurso – SUSEPE: edital publicado

topo_susepe

Foi publicado o edital tão aguardado da Superintendência dos Serviços Penitenciários do Rio Grande do Sul (Susepe/RS). Nesta segunda-feira (16/01), a banca examinadora que promoverá o concurso divulgou o edital para 720 vagas nos cargos de Agente Penitenciário e Agente Penitenciário Administrativo.

A banca examinadora que coordena a seleção é a Fundação La Salle (uma banca examinadora de Canoas-RS), cujas provas anteriores podem ser vistas aqui.

Das vagas para 720 servidores da SUSEPE, 620 são destinadas ao cargo de Agente Penitenciário, ao passo que 100 são destinadas ao cargo de  Agente Penitenciário Administrativo, ambos do Quadro Especial de Servidores da Superintendência. Ainda há uma subdivisão dentro do cargo de Agente Penitenciário: há 549 vagas destinadas a candidatos do sexo masculino e 71 vagas para o sexo feminino, com exigência de nível superior em qualquer área de formação e Carteira Nacional de Habilitação (CNH) na categoria “B”. A remuneração do cargo é de R$ 4.317,87 cuja jornada de trabalho será de 40 horas semanais, podendo envolver também sábados, domingos, feriados e no período noturno; ou em regime de plantão de até 24 horas totalizando 160 horas mensais mediante escala de trabalho, assegurado o respectivo descanso.

As especificações para o cargo de Agente Penitenciário Administrativo são: as 100 vagas para ambos os sexos, dentre as quais 76 estão destinadas para ampla concorrência, 10 para pessoas com deficiência e 16 para negros e pardos. A exigência é de possuir nível médio completo e ter Carteira Nacional de Habilitação (CNH) na categoria “B”. A remuneração inicial do cargo está fixada em R$ 3.483,63.

Caso você queira fazer a sua inscrição para esse concurso, o site é http://fundacaolasalle.org.br/concursos. O valor da inscrição é de R$ 171,15 para Agente Penitenciário, se ela for paga até 31 de janeiro; passando para R$ 182,41 após esse período, por causa da atualização da Unidade Padrão Fiscal do Estado (UPF). Já, para Agente Penitenciário Administrativo, o valor é de R$ 75,06 até 31/01, passando para R$ 80,00 em fevereiro.

Você pode conferir os editais nos links abaixo:

edital-susepe-01-2017

edital-susepe-02-2017

Força, Guerreiros!

Padrão