Uncategorized

Diferenças: nível médio X nível superior

Existe muita diferença entre prova de nível médio e prova de nível superior para Língua Portuguesa? Em relação à profundidade teórica das questões, não há muita diferença. Na realidade, o conteúdo cobrado para conhecimentos básicos (dentre os quais, temos a Língua Portuguesa) abarca o que estudamos em Língua Portuguesa durante o Ensino Fundamental e o Ensino Médio (porque quase não há disciplinas de LP no Ensino Superior).

Então, qual é a diferença entre essas provas? As bancas costumam apostar em dois pontos principais: as fontes das quais os textos são extraídos e as questões de interpretação. Em uma prova de nível médio, é mais comum notar textos retirados de blogs, de editoriais mais simples, de páginas que discutem assuntos mais próximos ao cotidiano das pessoas. Além disso, as questões de interpretação costumam ficar mais no nível de referenciação (descobrir que elemento é retomado por um pronome ou por uma expressão sinonímica) e da compreensão superficial das informações. Já, nas provas de nível superior, as bancas costumam apostar em textos mais próximos da Filosofia e do Direito; alguns são teses de doutorado ou trechos de obras literárias mais complexas (com um grande deslocamento temporal).

Então, podemos concluir que a os assuntos não serão divergentes relativamente à distinção entre o nível teórico exigido pelas bancas. Nosso maior desafio será, com efeito, voltado para a capacidade de leitura e interpretação das bases textuais selecionadas pelas bancas examinadoras.

Padrão
Uncategorized

Como escrever um estudo de caso?

Tomar-decisões

Olá, meu amigo do blog!

 

Se você acompanha o meu trabalho por aqui, sabe bem que – eventualmente – eu preciso vir à tona para desfazer alguns mitos que surgem no mundo dos estudos; seja dos concursos públicos, seja dos trabalhos acadêmicos, seja dos vestibulares.

A minha missão hoje é desvendar um mito bastante interessante: como escrever um estudo de caso em uma prova de concurso público?

Grande parte dos professores, que gosta de se sentir o mago da transformação textual, tenta delinear grandiosas diferenças entre um texto dissertativo e um estudo de caso. Em linhas gerais, não há tanta diferença assim. Honestamente, é muito mais fácil compreender o princípio de um estudo de caso. Vamos aos fatos!

O que é um estudo de caso?

Trata-se de um texto dissertativo, em que o candidato é obrigado a resolver um problema que é apresentado em uma situação narrada na “questão” que surge na proposta.

Preciso escrever introdução, desenvolvimento e conclusão?

Todo texto possui essas partes. Não é diferente com o estudo de caso. O que ocorre é – na introdução – você deve retomar a situação-problema, a fim de ficar mais claro o assunto sobre o qual você discorre. Não é necessário dar uma “enrolada” na introdução (na verdade, não é para fazer isso em nenhum texto).

O texto deve ser longo?

Depende da quantidade de problemas que você deve resolver. Um estudo de caso pode apresentar de duas até umas sete questões para que o candidato consiga resolver tecnicamente. Não é preciso delimitar quantidade de linhas para o texto. Você deve se concentrar na resposta de maneira específica, a fim de demonstrar conhecimento a respeito das situações mencionadas.

Há uma linguagem específica para usar?

Como todo texto de natureza específica, você precisa usar a linguagem do nicho a que se dirige o estudo de caso. Pense comigo: se você escreve um texto sobre enfermagem, precisa usar a linguagem específica da área; se vai falar sobre segurança de informação, precisa do vocabulário que se emprega nessa área. Isso é algo lógico!

Existe uma resposta certa?

Sim. Quando a proposta é feita, há um padrão de resposta que você precisa atingir. Esse padrão é entregue ao professor que fará a correção, a fim de ver quanto seu texto se aproxima da versão ideal do texto. Quanto mais se aproximar, maior a nota. Quanto menos… bem, você já sabe.

Onde posso encontrar propostas desse tipo?

Em qualquer site que traga provas anteriores. Basta observar qual o seu concurso e buscar a prova anterior, com vistas a achar a proposta de redação. Muito provavelmente você encontrará a proposta e o padrão de resposta, ainda mais se a sua banca for o Cespe/Cebraspe. Recomendo o site PCI-concursos.

 

Um grande abraço,

 

Bons estudos!

 

Força, guerreiros!

Padrão