Uncategorized

10 livros para você viajar o mundo!

1. HAMLET (Willian Shakespeare)

Trata-se de uma tragédia, onde um jovem príncipe busca vingar a morte de seu pai. É permeada por diversos conflitos psicológicos e com extrema densidade dos personagens. Aliás, se você gosta de série e literatura, saiba que a séria “Sons of Anarchy” foi inspirada nesta obra de Shakespeare.


2. ODISSEIA (Homero)

Representando a literatura clássica, Odisseia é uma obra riquíssima culturalmente. Ela conta a história de Ulisses, o rei de Ítaca (pequena ilha na região da Grécia antiga), que após ter combatido na guerra de Troia, acaba sendo amaldiçoado pelos deuses por desafiar a sua força, a sua potência. Deste modo, Ulisses é obrigado a lutar contra os deuses que representam os elementos da natureza para poder, enfim, regressar a ilha de Ítaca e rever sua esposa e seu filho. Grandiosa obra, tendo sido adaptada para cinema e que, inclusive, teve como protagonista o ator Armand Assant, no papel de Ulisses.


3. DOM QUIXOTE DE LA MANCHA (Miguel de Cervantes Saavedra)

Possivelmente a representação literária mais conhecida da Espanha é esta obra. A história de Dom Quixote retrata a jornada de um fidalgo enlouquecido que começa a recriar o mundo, a sua maneira, junto de seu companheiro sancho pança. Obra super recomendada!


4. OS MISERÁVEIS (Victor Hugo)

Escrita pelo autor francês Victor Hugo, a obra é densa e de cunho político do próprio autor, retratando a desigualdade social, que expõe a história de um condenado (Jean Valjean) que foi posto em liberdade. Este livro teve adaptação para o cinema “Les Misérables (2012)” tendo como personagem principal o ator Hugh Jackman como Jean Valjean, Russell Crowe como o Inspetor Javert e Anne Hathaway como Fantine.


5. CRIME E CASTIGO (Fiódor Dostoiévski)

Crime e Castigo é um romance publicado em 1866, é uma obra densamente existencialista que discute elementos como: homicídio, drama psicológico, e niilismo. O nome é altamente sugestivo, qual será o castigo para esse crime? Sem spoilers, leia e descubra!


6. POR QUEM OS SINOS DOBRAM (Ernest Hemingway)

Romance de 1940, escrita pelo autor norte-americano Ernest Hemingway, e que narra a história de Robert Jordan, um jovem norte-americano das Brigadas Internacionais. Professor de espanhol que se tornou conhecedor do uso de explosivos, Jordan recebe a missão de explodir uma ponte por ocasião de um ataque simultâneo à cidade de Segóvia.

Uma curiosidade: A banda Metallica fez uma canção inspirada neste livro, que inclusive, traz o mesmo nome do livro “For Whom the Bell Tolls“.


7. GRANDE SERTÃO VEREDAS (João Guimarães Rosa)

Entre as obras brasileiras mais conhecidas, um destaque especial se dá para Grande Sertão Veredas, obra de Guimarães Rosa, publicada em 1956, que narra a vida de alguns homens no cangaço. Uma mistura de misticismo, amor, preconceito, existencialismo, e conflitos internos. Leitura super recomendável!


8. UMA QUESTÃO PESSOAL (Kenzaburo Oe)

O autor japonês Kenzaburo Oe, traz a tona um assunto delicado e que foi inspirado em um episódio real da vida do autor, o nascimento do primeiro filho. A criança veio ao mundo com sérios problemas cerebrais. A partir desse fato, o autor criou um romance semi-autobiográfico no qual o protagonista, um professor de inglês, se questiona sobre o que realmente deseja para seu filho. O autor a partir de sua experiência pessoal constrói uma das narrativas mais dramáticas do século XX.


9. O PERFUME (Patrick Suskind)

Uma obra de origem alemã, publicada em 1985, e que teve 15 milhões de exemplares vendidos em quarenta línguas. O perfume conta a história de um jovem com uma peculiaridade relacionada ao olfato, e que considera o cheiro a essência das pessoas. Diante disto, ele decide criar o perfume perfeito. O livro teve uma adaptação para o cinema em 2006 pelo diretor alemão Tom Tywer (Corra, Lola, Corra).


10. O PRIMO BASÍLIO (Eça de Queiroz)

O Primo Basílio” narra a história de amor entre o casal Jorge e Luísa, e a infidelidade da esposa com seu primo, Brasílio. A obra de Eça de Queiroz, publicada em 1878, consiste na análise da família burguesa da época e faz parte dos clássicos da literatura portuguesa.


Estas obras estão resumidas neste vídeo, confira:

Boa viagem, guerreiro!

Padrão
Como aprender Língua Portuguesa

Estrutura e formação de palavras


Estrutura das Palavras
Para compreender os termos da Língua Portuguesa, deve-se observar, nos vocábulos, a presença de algumas estruturas como raiz, desinências e afixos:
Raiz ou Radical (morfema lexical): parte que guarda o sentido da palavra.
• Flor
Floreira
Florista
• Aflorar
Florescer

Desinências (fazem a flexão dos termos)
Nominais:
Gênero: Aluno / Aluna.
Número: Pessoa / Pessoas.
Grau: Cadeira / Cadeirinha.

Verbais:
Modo-tempo:
• Cantávamos / Vendêramos.
Número-pessoa:
• Fizemos /Comprastes

Afixos (conectam-se às raízes dos termos)
Prefixos: colocados antes da raiz

  • Ilegal, desleal, refazer.
    Sufixos: colocados após a raiz
  • Felicidade, inicialmente, mocidade

Também é importante ficar atento aos termos de ligação. São eles:
Vogal de ligação:
• Gasômetro / Barômetro / Cafeicultura / Carnívoro
Consoante de ligação:
• Girassol / Cafeteira / Paulada / Chaleira

Processos de Formação de Palavras
Há dois processos mais fortes (presentes) na formação de palavras em Língua Portuguesa: a composição e a derivação.

Vejamos suas principais características.
Composição
: é muito mais uma criação de vocábulo. Pode ocorrer por:
Justaposição (sem perda de elementos): Guarda-chuva, girassol, arranha-céu etc.
Aglutinação (com perda de elementos): Embora, fidalgo, aguardente, planalto, boquiaberto etc.
Hibridismo (união de radicais oriundos de línguas distintas): Automóvel (latim e grego); Sambódromo (tupi e grego).

Derivação: é muito mais uma transformação no vocábulo. Pode ocorrer por:
Prefixal (prefixação)
• reforma, anfiteatro, cooperação
Sufixal (sufixação)
• pedreiro, engenharia, florista
Prefixal – sufixal
• infelizmente, ateísmo, desordenamento

Parassintética: prefixo e sufixo simultaneamente, sem a possibilidade de remover umas das partes.
• avermelhado, anoitecer, emudecer, amanhecer
Regressão (regressiva) ou deverbal: advinda de um verbo
• Abalo (abalar), luta (lutar), fuga (fugir)
Imprópria (conversão): mudança de classe gramatical
• O jantar, um não, o seu sim, o pobre.

Estrangeirismo
Pode-se entender como um empréstimo linguístico.
Com aportuguesamento: abajur (do francês “abat-jour”), algodão (do árabe “al-qutun”), lanche (do inglês “lunch”) etc.
Sem aportuguesamento: networking, software, pizza, show, shopping etc.

Acrônimo ou Sigla
Silabáveis
: podem ser separados em sílabas.
• Infraero (Infraestrutura Aeroportuária), Petrobras (Petróleo Brasileiro) etc.
Não-silabáveis: não podem ser separados em sílabas.
• FMI, MST, SPC, PT, INSS, MPU etc.

Onomatopeia ou reduplicação
Onomatopeia: tentativa de representar um som da natureza.

  • Pow, paf, tum, psiu, argh.
    Reduplicação: repetição de palavra com fim onomatopaico.
  • Reco-reco, tique-taque, pingue-pongue.

Redução ou abreviação
Eliminação do segmento de alguma palavra
Fone (telefone), cinema (cinematógrafo), pneu (pneumático) etc.

Padrão
Como aprender Língua Portuguesa

O que é um texto descritivo?

  • Descrição: o texto descritivo é menos móvel, pois se preocupa com qualificar ou caracterizar referentes.
    • Foco nas características: isso quer dizer que os verbos de ligação costumam aparecer largamente.
    • Ênfase nos adjetivos: pois são termos que qualificam ou caracterizam.
    • Objetiva: uma descrição possui focalização objetiva, quando seus adjetivos não demonstram uma opinião de quem escrever, mas apenas a caracterização dos referentes.
    • Subjetiva: uma descrição possui focalização subjetiva, quando há o emprego deliberado de sentimentos, emoções e opiniões a respeito do que se descreve no texto.

Exemplo de texto descritivo:

Cadeira Travel Max Mb-C300 Desenvolvida em espuma; aço e polipropileno, super-resistente, traz toda qualidade para se acomodar com segurança. Uma excelente Cadeira para proporcionar conforto e ainda deixar o seu escritório sofisticado com muito estilo.

(Fonte: http://www.toctech.com.br)

Padrão
Minha Biblioteca

Metamorfose: Franz Kafka

Por Pablo Jamilk

O desenrolar da história se passa quando Gregor Samsa, um caixeiro viajante (vendedor nos dias atuais), começa a se transformar em uma espécie de “barata gigante”. O personagem sente-se agoniado por não conseguir levantar da cama, e por não saber como fará para voltar ao trabalho. Afinal, sua família possui uma grande dívida com seu empregador, e ele não pode se dar ao luxo de se atrasar, ou de não ir trabalhar. 

O ponto a que o autor quer chegar é referente a reificação, ou seja, é a transformação do homem em coisa. O homem está ausente de alma, o homem está ausente de personalidade, de tudo, ele é simplesmente uma ferramenta. Dessa forma, quando ele deixa de trabalhar, ele para de importar para a sociedade.

A grande sacada de Franz Kafka é falar sobre a metamorfose fantástica, aquela que serve para dar um ponto de virada para outras metamorfoses. Ou seja, para a metamorfose do pai que terá que trabalhar para ajudar nas contas da casa. Da mãe e da irmã que no início amavam Gregor, mas que com o tempo passam a ter outro comportamento. E, até mesmo, do personagem principal que passa a ter outra visão de sua própria família.

Padrão