Como aprender Língua Portuguesa

Classes de palavras: Artigo

Artigo

Artigo é a palavra que define ou indefine um substantivo, particularizando-o.

Classificação: os artigos podem ser:

Definidos: definem um referente na sentença. São eles: o, a, os, as.

Indefinidos: indefinem um referente na sentença. São eles: um, uma, uns, umas.

Emprego dos artigos:

a) Definição de termo:

Chamem o aluno. (Provavelmente, esse aluno já foi mencionado no texto)

b) Indefinição de termo:

Chamem um aluno. (Nesse caso, é indiferente o aluno. Provavelmente não fora mencionado na sentença)

c) Generalização de termo:

Aluno deve estudar. (Veja que o artigo não foi empregado, ou seja, fala-se a respeito de toda a categoria “aluno”)

d) Substantivar termo:

O cantar / Um não. (Perceba que, nesse caso, o artigo transformou as palavras “cantar” e “não” (verbo e advérbio) em substantivos. A esse processo, dá-se o nome de derivação imprópria).

e) Destaque de termo:

João é “o” médico. (Nessa sentença, faz-se um tipo de destaque, como fosse uma questão de ênfase do elemento que sucede o artigo)

f) Uso com o pronome “todo”:

  • Esse é um problema em todo país. (Conjunto dos países)
  • Esse é um problema em todo o país. (O país em sua totalidade)

Note a mudança de sentido proveniente do emprego do artigo.

Padrão
Como aprender Língua Portuguesa, Uncategorized

Como usar a vírgula?

Regra de ouro

Fique atento para a regra fundamental de emprego da vírgula. Uma das mais cobradas em concursos.

Não se emprega vírgula entre:

  • Sujeito e verbo.
  • Verbo e objeto (na ordem direta da sentença).

Para facilitar a memorização dos casos de emprego da vírgula, lembre-se de que:

A vírgula é:

        Desloca

        Enumera

        Explica

        Enfatiza

        Isola

        Separa


Emprego da vírgula

Emprega-se para:

a) separar termos que possuem mesma função sintática no período:

  • João, Mariano, César e Pedro farão a prova. (Os termos separados são núcleos do sujeito, logo possuem a mesma função)
  • Li Goethe, Nietzsche, Montesquieu, Rousseau e Merleau-Ponty. (Os termo separados são núcleos do objeto direto).

b) isolar o vocativo:

– Força, guerreiro!

c) isolar o aposto explicativo:

  • José de Alencar, o autor de Lucíola, foi um romancista brasileiro.

d) mobilidade sintática:

  • Temeroso, Amadeu não ficou no salão. (Predicativo do sujeito deslocado)
  • Na semana anterior, ele foi convocado a depor. (Adjunto adverbial deslocado)
  • Por amar, ele cometeu crimes. (Oração subordinada adverbial causal reduzida de infinitivo deslocada)

e) separar expressões explicativas, conjunções e conectivos:

isto é, ou seja, por exemplo, além disso, pois, porém, mas, no entanto, assim, etc.

f) separar os nomes dos locais de datas:

  • Cascavel, 10 de março de 2012.

g) isolar orações adjetivas explicativas:

  • O Brasil, que busca uma equidade social, ainda sofre com a desigualdade.

Observação: atente para o fato de que a banca pode exigir a retirada de uma vírgula. Isso prejudicaria a correção gramatical, uma vez que haveria outra entre sujeito e verbo. Se a banca solicitar a retirada das duas, haverá mudança de sentido, mas não incorreção gramatical.

h) separar termos enumerativos:

  • O palestrante falou sobre fome, tristeza, desemprego e depressão.

Observação: veja que essa é a mesma regra que fala sobre separar termos de mesma função. Algumas bancas apenas mudam a descrição da regra.

i) omitir um termo (elipse verbal / zeugma):

  • Pedro estudava pela manhã; Mariana, à tarde.

Observação: a vírgula foi empregada para substituir o verbo “estudar”. Essa vírgula é chamada de vírgula vicária.

j) separar algumas orações coordenadas

        – Júlio usou suas estratégias, mas não venceu o desafio.

k) separar oração modal reduzida de gerúndio no período.

        – O país saiu da crise em que estava, modificando sua estratégia de desenvolvimento econômico.


Vírgula + E

Existem muitos mitos sobre o emprego da vírgula com o conectivo “e”. É preciso saber que há casos em que a vírgula será bem empregada. Como os posteriores:

  1. Para separar orações coordenadas com sujeitos distintos:
  • Minha professora entrou na sala, e os colegas começaram a rir.

2) Polissíndeto (repetição poposital de conjunções):

  • Luta, e luta, e luta, e luta, e luta: é um filho da pátria.

3) Conectivo “e” com o valor semântico de “mas”:

  • Os alunos não estudaram, e passaram na prova.

4) Para enfatizar o elemento posterior:

  • A menina lhe deu um fora, e ainda o ofendeu.

Como isso cai em prova?

O respeito às diferentes manifestações culturais é fundamental, ainda mais em um país como o Brasil, que apresenta tradições e costumes muito variados em todo o seu território. Essa diversidade é valorizada e preservada por ações da Secretaria da Identidade e da Diversidade Cultural (SID), criada em 2003 e ligada ao Ministério da Cultura.

(CESPE) A retirada da vírgula após “Brasil” manteria a correção gramatical e os sentidos do texto, visto que, nesse caso, o emprego desse sinal de pontuação é facultativo.

Resposta: Errado. Comentário: a vírgula que sucede a palavra “Brasil” serve para introduzir uma oração subordinada adjetiva explicativa. Sua retirada transforma a sentença em uma oração subordinada adjetiva restritiva, além da função sintática, o sentido também será alterado.


(ESAF) Assinale a opção que justifica corretamente o emprego de vírgulas no trecho abaixo.

É neste admirável e desconcertante mundo novo que se encontram os desafios da modernidade, a mudança de paradigmas culturais, a substituição de atividades profissionais, as transformações em diversas áreas do conhecimento e os contrastes cada vez mais acentuados entre as gerações de seres humanos.

(Adaptado de Zero Hora (RS), 31/12/2013)


As vírgulas

 a) isolam elementos de mesma função sintática componentes de uma enumeração.

 b) separam termos que funcionam como apostos.

 c) isolam adjuntos adverbiais deslocados de sua posição tradicional.

 d) separam orações coordenadas assindéticas.

 e) isolam orações intercaladas na oração principal.

Resposta: A. Comentário: as vígulas da sentença separam uma enumeração que compõe o sujeito composto do verbo “encontrar”, que está na voz passiva. Todos eles fazem parte de uma enumeração, componente do sujeito.

Após estudar a vírgula, já é possível passar ao estudo dos demais sinais principalmente cobrados nas provas de concurso.

Padrão
Notíciais

Concurso Polícia Federal: 1.500 vagas disponibilizadas!

A autorização para a realização de concurso público que visa preencher os cargos na Polícia Federal foi publicada hoje (11), pelo DOU (Diário Oficial da União). O concurso prevê a disponibilização de 1.500 vagas de nível superior para os cargos de delegado, escrivão, papiloscopista e agente de polícia federal.

Conforme a Portaria 14.358, o prazo para a publicação do edital de abertura de inscrições será de até seis meses. As vagas serão dispostas da seguinte forma: 123 vagas para delegado, 400 para escrivão, 84 para papiloscopista e 893 para agentes.

O último concurso da PF foi realizado em 2018 e ofereceu 500 vagas de nível superior. Ótima notícia para os concurseiros que estão de olho neste concurso!


Quer se preparar para esse concurso com o melhor método de estudos?

O Método Jamilk irá abrir segunda-feira (14), sua última turma do ano, ou seja, é a sua melhor chance de fazer parte da comunidade de estudos da língua portuguesa e ser aprovado neste e em vários concursos.

Clique no link e inscreva-se

https://www.pablojamilk.com.br/lista-de-espera/

Padrão
Concurso Público

Concurso da PRF: Diretor da PRF afirma que a autorização será anunciada esta semana.

De acordo com as últimas informações sobre o concurso da PRF 2021, as notícias são animadoras para os concurseiros. Pois, o diretor-executivo da Polícia Rodoviária Federal, José Hott, afirmou nesta segunda-feira, em uma live, que na última sexta, 27, em reunião com o presidente Jair Bolsonaro e o Ministro da Justiça e Segurança Pública, André Mendonça, o qual classificou esta semana como deliberativa para a autorização do concurso PRF 2021.

“Na sexta-feira, a gente tratou com o governo – com o Ministério da Justiça, Ministério da Justiça e presidente da República. Uma semana decisiva, e a gente imagina que ao longo dessa semana poderemos ter a publicação da autorização”, disse Hott.

Existe uma grande probabilidade de as provas serem realizadas até o fim do primeiro semestre de 2021. No entanto, o edital precisa ser publicado até fevereiro do ano que vem. Apesar do grande otimismo de Hott, ainda é necessária a autorização formal, com a publicação no Diário Oficial.


DAS VAGAS

O departamento da Polícia Rodoviária Federal encaminhou um pedido de 2.634 vagas para o cargo de policial rodoviário federal, cargo de nível superior. Para a carreira de Agente Administrativo, a PRF já descartou a hipótese deste concurso ser publicado.

O subsídio inicial do policial rodoviário federal é R$ 9.899,88. Já para o cargo de nível médio, a remuneração inicial é de R$ 4.746,16.

A PRF se enquadraria no rol de carreiras estáveis, segundo de acordo com a nova Reforma Administrativa. A diferença é que, caso aprovada no Congresso, os novos aprovados teriam que passar por dois anos no período de experiência e, depois disso, um ano no estágio probatório. Para que essa regra possa valer, ela precisar ser aprovada no Congresso.

De acordo com o órgão, a PRF pretende realizar a formação desses candidatos aprovados em 2021 e 2022, com as nomeações a partir de janeiro de 2022.

O diretor-executivo da PRF, José Hott, exemplificou em seu perfil no Instagram um cronograma, sendo considerada a autorização até o fim deste mês. O cenário seria o seguinte:

  • Autorização do Concurso: até 31 de outubro
  • Contratação da banca: até 30 de novembro
  • Publicação do edital: até 31 de dezembro
  • Aplicação das provas: até 30 de abril de 2021.

O  presidente da República, Jair Bolsonaro, reforçou recentemente, durante um evento na superintendência da PRF no Rio de Janeiro, que “o edital poderá ser publicado ainda em 2020 ou no início de 2021”. Além disso, ele alegou que já estão avançadas as tratativas com o Ministério da Economia.

O projeto básico de edital já está pronto e será divulgada às bancas interessadas em organizar o certame assim que a autorização for publicada, afirmou o diretor.


Conheça o DOSSIÊ PRF e se prepare da melhor forma para este concurso.

Fique à frente de muitos candidatos, subindo dezenas ou até centenas de posições por ter gabaritado Língua Portuguesa no concurso da Polícia Rodoviária Federal – PRF! Sem enrolação, sem blá blá blá! Tudo como você sempre quis!

Como Funciona o Dossiê PRF?

No projeto Dossiê PRF, eu, Pablo Jamilk vou te ajudar a gabaritar a prova de Língua Portuguesa, como também irei guiar você e te ensinar a entender como as questões funcionam para que você possa chegar a nota máxima.
Tudo direto ao ponto, ou seja, dicas e conteúdos que irão certamente cair em sua prova. Sem enrolação!

Tudo isso com VIDEOAULAS OBJETIVAS, CONCISAS E ESPECÍFICAS PARA ESTE CONCURSO!

Imagine estudar com questões que realmente caíram em provas e da forma como o assunto é cobrado na prova. Sem enrolação, sem blá blá blá! Isso é possível com Dossiê PRF.
Padrão
Como aprender Língua Portuguesa

O que é uma tirinha?

A tirinha

        Diferentemente da charge, a tirinha não possui necessariamente um prendimento temporal (muito embora as contemporâneas estejam trabalhando mais como charges sequenciais). As tirinhas são pequenas narrativas que misturam linguagem verbal com linguagem não-verbal. Usualmente, há questionamentos sobre os efeitos de humor que decorrem das quebras de expectativa do penúltimo para o último quadro da tirinha, portanto, é preciso atentar para essas partes principais da pequena narrativa.

            É comum que haja um personagem central nessas tirinhas, o qual costuma ser o protagonista das ações do texto. Veja um exemplo:

Padrão