Como aprender Língua Portuguesa

Regras de Acentuação Gráfica

Vamos estudar as regras propriamente ditas. Atente para os casos e busque memorizá-los.

1 – Proparoxítonas: todas são acentuadas.

Ex.: Sádico, amazônico, hipócrita, médico.

2 – Paroxítonas:

Não são acentuadas as terminadas em:

  • A (S): fada, casas.
  • E (S): plebe, rudes.
  • O (S): carro, cigarros.
  • M / ENS: miragem / hifens.

Prefixos terminados em “i” ou “r”: semi / super

São acentuadas as terminadas em:

  • R: caráter.
  • N: hífen.
  • L: lavável.
  • X: tórax.
  • I(S): lápis.
  • Ã(S): ímã.
  • US: ônus.
  • UM (UNS): álbum.
  • OM (ON, ONS): iândom, prótons.
  • PS: bíceps.

DITONGO: fáceis.

3 – Oxítonas: são acentuadas as terminadas em:

  • A(S): será / marajá
  • E(S): filé / sopé
  • O(S): dominó / Caiapó
  • EM / ENS: amém / parabéns.

4 – Monossílabos tônicos: são acentuados os terminados em:

  • A(S): lá, má, dá, já.
  • E(S): pé, vê, ré, Zé.
  • O(S): dó, pó, só.

5 – Acentuação de Hiatos: “I” e “U” sozinhos ou seguidos de S:

  • Carnaúba / Saída / Egoísta / Balaústre

Obs.: não são acentuados nos seguintes casos:

  • – Seguidos de NH: rainha, bainha, tainha.
  • – Paroxítonos antecedidos de ditongo: feiura / Bocaiuva.
  • – i / u duplicados: xiita / vadiice / uuçango.

Obs. 2: iídiche / friíssimo. Esses termos possuem acento porque são proparoxítonos.

6 – Ditongos abertos: éu, éi, ói.

  1. Monossilábicos: véu, rói, dói, réis.
  2. Oxítonos: caracóis, pincéis, troféus.

7 – Formas Verbais com Hífen:

Deve-se tratar cada forma como se fosse uma palavra distinta.

  • Ex.: Contar-lhe. (Oxítona terminada em “r” e monossílabo átono)
  • Ex.: Sabê-la. (Oxítona terminada em “e” e monossílabo átono)
  • Ex.: Convidá-la-íamos. (Oxítona terminada em “a” e proparoxítona)

8 – Verbos “Ter” e “Vir”

Se empregados na terceira pessoa do singular (Presente do Indicativo): sem acento.

  • Ex.: O homem tem / o homem vem.

Se empregados na terceira pessoa do plural (Presente do Indicativo): com acento circunflexo.

  • Ex.: Os homens têm / os homens vêm.

9 – Verbos derivados de “Ter” e “Vir”

Se empregados na terceira pessoa do singular (Presente do Indicativo): com acento agudo.

  • Ex.: João mantém / o frasco contém.

Se empregados na terceira pessoa do plural (Presente do Indicativo): com acento circunflexo.

  • Ex.: Os homens mantém / os frascos contêm.

10 – Acentos diferenciais:

Permanecem:

  • Pôr (verbo) / Por (preposição)
  • Pôde (pretérito perfeito) / Pode (presente)
  • Fôrma (substantivo – recipiente) / Forma (verbo “formar” / substantivo – formato)[1]

Desaparecem[2]:

  • Pára – Para
  • Pêra – Pera
  • Pólo – Polo
  • Pêlo – Pelo

[1] Esse é um caso facultativo.

[2] Os acentos não são mais utilizados, mas as palavras ainda existem.

Padrão
Minha Biblioteca

Metamorfose: Franz Kafka

Por Pablo Jamilk

O desenrolar da história se passa quando Gregor Samsa, um caixeiro viajante (vendedor nos dias atuais), começa a se transformar em uma espécie de “barata gigante”. O personagem sente-se agoniado por não conseguir levantar da cama, e por não saber como fará para voltar ao trabalho. Afinal, sua família possui uma grande dívida com seu empregador, e ele não pode se dar ao luxo de se atrasar, ou de não ir trabalhar. 

O ponto a que o autor quer chegar é referente a reificação, ou seja, é a transformação do homem em coisa. O homem está ausente de alma, o homem está ausente de personalidade, de tudo, ele é simplesmente uma ferramenta. Dessa forma, quando ele deixa de trabalhar, ele para de importar para a sociedade.

A grande sacada de Franz Kafka é falar sobre a metamorfose fantástica, aquela que serve para dar um ponto de virada para outras metamorfoses. Ou seja, para a metamorfose do pai que terá que trabalhar para ajudar nas contas da casa. Da mãe e da irmã que no início amavam Gregor, mas que com o tempo passam a ter outro comportamento. E, até mesmo, do personagem principal que passa a ter outra visão de sua própria família.

Padrão
Como aprender Língua Portuguesa

Quanto tempo de estudo?

Podemos dividir o tempo de estudo de Língua Portuguesa por
semana, para ficar mais simples cumprir os horários. Minha sugestão
sincera é que você estude – no mínimo – três vezes por semana os
assuntos relativos à Gramatica. Costumo indicar a reserva de um tempo
no domingo para realizar algumas leituras que poderão melhorar sua
capacidade de interpretação.

É interessante dividir o seu tempo de estudo da seguinte maneira:

  • Teoria (leitura das regras e análise das frases) – 30% do seu tempo de estudo para LP.
  • Prática (resolução dos exercícios) – 40% do seu tempo de estudo para LP.
  • Leitura (de diversas fontes bibliográficas) – 30% do seu tempo de estudo para LP.

Isso fará você se acostumar com o fato de que o mais importante é saber como responder aos questionamentos das provas. Quanto mais questão analisada, mais conhecimento sobre a banca examinadora; consequentemente, melhor você estará no assunto.

Se a sua dúvida é relativa ao tempo que leva para entender o assunto, o papo é outro. Vai depender de quanto de esforço você coloca no seu empreendimento de estudo. Na maior parte dos casos, leva uns três meses de dedicação plena para compreender as diferenças entre os conteúdos e para começar a memorizar todas as nomenclaturas. Em cerca de seis meses, você consegue começar a discutir o assunto com mais profundidade. Depois de um ano de estudo dedicado, é possível adquirir conhecimento suficiente para gabaritar uma prova de Língua Portuguesa.

Inscreva-se no blog para continuar recebendo os posts constantemente!

Potencialize seus estudos! Venha para o Método Jamilk!

Assista ao vídeo para saber mais!

Padrão