Como aprender Língua Portuguesa

O que são orações subordinadas adverbiais?

São as orações que desempenham a função de um adjunto adverbial na sentença. Sua característica fundamental, quando desenvolvidas, é que surgem introduzidas por uma conjunção subordinativa adverbial. Logo, a nomenclatura das orações fica condicionada à classificação semântica das conjunções. É importante atentar para o sentido das conjunções na sentença, pois costuma ser alvo de questões. Além disso, é importante observar o critério de mobilidade – possibilidade de deslocar a oração na sentença –, pois nesse caso há uma vírgula obrigatoriamente.


Comparação para facilitar o entendimento:

Período Simples:

        – Amanhã, venha estudar.

Período Composto:

        – Quando tiver tempo, venha estudar.


Classificação das orações: 9 tipos.

1 – Causal: exprimem sentido de causa. Suas principais conjunções são já que, porque, uma vez que, como etc.

Ex.: Já que estava preparado, resolveu a prova.

2 – Comparativa: exprimem ideia de comparação. Algumas conjunções são como, mais (do) que, menos (do) que.

Ex.: Executou a tarefa como um perito faria.

3 – Condicional: exprimem ideia de condição. Algumas conjunções são se, desde que, contanto que etc.

Ex.: Desde que haja garra, o cargo será seu.

4 – Conformativa: exprimem a ideia de conformidade. Algumas conjunções são conforme, segundo, consoante etc.

Ex.: Eu farei o teste segundo o professor recomendou.

5 – Consecutiva: exprimem a ideia de consequência. Algumas conjunções são tanto que, de modo que, de sorte que.

Ex.: O candidato estava tão preparado que gabaritou a prova.

6 – Concessiva: exprimem a ideia de concessão. Algumas conjunções são embora, ainda que, mesmo que etc.

Ex.: Embora haja muitos concorrentes, o cargo será meu!

7 – Final: exprimem ideia de finalidade. Algumas conjunções são para que, a fim de que, porque etc.

Ex.: Separou o tema, a fim de que pudesse estudar.

8 – Proporcional: exprimem ideia de proporção. Algumas conjunções são à medida que, à proporção que, ao passo que etc.

Ex.: Ganhava dinheiro, à medida que enganava os professores.

9 – Temporal: exprimem ideia de tempo. Algumas conjunções são sempre que, logo que, mal, assim que etc.

Ex.: Sempre que a vida parecer difícil, resista!

Padrão
Como aprender Língua Portuguesa

O que são termos acessórios da oração?

Os termos que são ditos acessórios servem para estender (ampliar) o sentido das expressões. Isso quer dizer que esses termos aumentam a informação relacionada a um referente. Vejamos quais são esses elementos.


1 – Adjunto Adnominal:

Trata-se do termo que particulariza o núcleo de uma expressão de caráter nominal. Usualmente, artigos, pronomes, adjetivos, locuções adjetivas e numerais desempenham a função de adjuntos adnominais.

  • Uma medida será necessária.
  • Duas posições foram criticadas.
  • A mulher do vizinho comprou minha casa.
  • Aquela questão fácil me salvou na prova.

Nota: é preciso, para não criar confusão, fazer uma distinção entre adjunto adnominal e complemento nominal.

  • A descoberta do remédio foi benéfica. (adjunto adnominal)
  • A descoberta do cientista foi benéfica.  (complemento nominal)

O adjunto adnominal surgirá como resultado da ação que o substantivo pode exprimir, como é o caso de “descoberta do remédio” – o remédio foi descoberto, ou seja, é o resultado da ação de “descobrir”.

O complemento nominal surgirá como o sujeito da ação que o substantivo pode exprimir, como é o caso de “descoberta do cientista” – o cientista descobriu algo, ou seja, é o sujeito da ação de “descobrir”.

2 – Adjunto adverbial

Trata-se do termo que imprime uma circunstância sobre verbo, adjetivo ou advérbio. Na verdade, adjunto adverbial é o nome sintático de um advérbio ou de uma locução adverbial.

  • Por medo, o homem ficou calado.
  • Na semana anterior, não houve aula.
  • Talvez ele faça parte do grupo.

3 – Aposto

Trata-se do termo que serve para explicar, resumir, especificar, enumerar ou distribuir um referente, com o qual estabeleça identificação semântica. Veja quais são os tipos de aposto.

1 . Explicativo. (Note que o aposto explicativo não possui verbo)

  • Graciliano Ramos, o autor de “Vidas Secas”, era nordestino.

2. Resumitivo.

  • AFO, Economia, Português, RLM, tudo ele gabaritou.

3. Especificativo.

  • O vereador Jucelino Doidivanas assinou a correspondência.

4. Enumerativo.

  • Há dois problemas para a produção de alimentos: o da seca e o das chuvas.

5. Distributivo.

  • Os comunicados vieram separadamente: o do concurso, primeiro; o do processo, depois.

6. Oracional.

  • Solicitei esta alteração: que ela não fosse a primeira da lista.
  • O pedido, que fizessem um curso específico, foi atendido.

4 – Vocativo

Trata-se de uma interpelação que indica com quem se fala. É o termo que indica quem é o interlocutor da sentença.

  • Senhor, traga suas credenciais!
  • Preste atenção, menina!

5 – Predicativo do Objeto

Trata-se da característica ou qualidade do objeto que foi atribuída pelo sujeito da sentença.

  • O povo achou a atitude incorreta.
  • O juiz considerou o réu culpado.

Finalizamos a sintaxe do período simples! Você pode perceber que, apesar de ser uma matéria muito intuitiva e fácil, exige muita atenção aos detalhes. Por isso, peço que você interrompa agora, reveja toda a matéria de sintaxe até aqui e, só então, caminhe para a sintaxe do período composto. Bons estudos! Força, guerreiro!

Padrão
Como aprender Língua Portuguesa

Estrutura e formação de palavras


Estrutura das Palavras
Para compreender os termos da Língua Portuguesa, deve-se observar, nos vocábulos, a presença de algumas estruturas como raiz, desinências e afixos:
Raiz ou Radical (morfema lexical): parte que guarda o sentido da palavra.
• Flor
Floreira
Florista
• Aflorar
Florescer

Desinências (fazem a flexão dos termos)
Nominais:
Gênero: Aluno / Aluna.
Número: Pessoa / Pessoas.
Grau: Cadeira / Cadeirinha.

Verbais:
Modo-tempo:
• Cantávamos / Vendêramos.
Número-pessoa:
• Fizemos /Comprastes

Afixos (conectam-se às raízes dos termos)
Prefixos: colocados antes da raiz

  • Ilegal, desleal, refazer.
    Sufixos: colocados após a raiz
  • Felicidade, inicialmente, mocidade

Também é importante ficar atento aos termos de ligação. São eles:
Vogal de ligação:
• Gasômetro / Barômetro / Cafeicultura / Carnívoro
Consoante de ligação:
• Girassol / Cafeteira / Paulada / Chaleira

Processos de Formação de Palavras
Há dois processos mais fortes (presentes) na formação de palavras em Língua Portuguesa: a composição e a derivação.

Vejamos suas principais características.
Composição
: é muito mais uma criação de vocábulo. Pode ocorrer por:
Justaposição (sem perda de elementos): Guarda-chuva, girassol, arranha-céu etc.
Aglutinação (com perda de elementos): Embora, fidalgo, aguardente, planalto, boquiaberto etc.
Hibridismo (união de radicais oriundos de línguas distintas): Automóvel (latim e grego); Sambódromo (tupi e grego).

Derivação: é muito mais uma transformação no vocábulo. Pode ocorrer por:
Prefixal (prefixação)
• reforma, anfiteatro, cooperação
Sufixal (sufixação)
• pedreiro, engenharia, florista
Prefixal – sufixal
• infelizmente, ateísmo, desordenamento

Parassintética: prefixo e sufixo simultaneamente, sem a possibilidade de remover umas das partes.
• avermelhado, anoitecer, emudecer, amanhecer
Regressão (regressiva) ou deverbal: advinda de um verbo
• Abalo (abalar), luta (lutar), fuga (fugir)
Imprópria (conversão): mudança de classe gramatical
• O jantar, um não, o seu sim, o pobre.

Estrangeirismo
Pode-se entender como um empréstimo linguístico.
Com aportuguesamento: abajur (do francês “abat-jour”), algodão (do árabe “al-qutun”), lanche (do inglês “lunch”) etc.
Sem aportuguesamento: networking, software, pizza, show, shopping etc.

Acrônimo ou Sigla
Silabáveis
: podem ser separados em sílabas.
• Infraero (Infraestrutura Aeroportuária), Petrobras (Petróleo Brasileiro) etc.
Não-silabáveis: não podem ser separados em sílabas.
• FMI, MST, SPC, PT, INSS, MPU etc.

Onomatopeia ou reduplicação
Onomatopeia: tentativa de representar um som da natureza.

  • Pow, paf, tum, psiu, argh.
    Reduplicação: repetição de palavra com fim onomatopaico.
  • Reco-reco, tique-taque, pingue-pongue.

Redução ou abreviação
Eliminação do segmento de alguma palavra
Fone (telefone), cinema (cinematógrafo), pneu (pneumático) etc.

Padrão